domingo, 13 de julho de 2014


FRANGUINHO PURUCA
 Ninguém é de ferro, uma friturinha não vai matar!

INGREDIENTES:
  • 01 kg de coxinha da asa
  • Temperos (a seu gosto)
  • 03 xícaras de trigo
  • 03 colheres de chá de fermento em pó
  • Óleo (o suficiente para fritar)
MODO DE FAZER:
Tempere as coxinhas ao seu modo.
Eu utilizei, sal, pimenta, páprica defumada, mostarda e limão.
Deixe descansar no mínimo 2 horas nessa marinada.
Misture o trigo com o fermento.
Passe as coxinhas por essa mistura e frite em óleo quente ( Não pode estar fervendo, caso contrário o frango ficará cru.
Fica pururuca, crocante e delicioso.
Uma receitinha fácil para receber amigos.



BOLO INTEGRAL COM BANANA E MAÇÃ


INGREDIENTES:
  • 06 bananas pequenas ou 3 grandes
  • 01 maçã
  • 03 ovos
  • 1/2 xícara (chá) de leite desnatado
  • 1/2 xícara (chá) de óleo de milho ou girassol
  • 02 xícaras (chá) de açucar mascavo ou demerara
  • 01 xícara (chá) de farinha de trigo integral
  • 01 xícara (chá) de aveia
  • 01 colher (sopa) de fermento
  • Canela em pó a gosto

MODO DE FAZER:
Bata no liquidificador 1 banana, os ovos, o leite e o óleo.
Depois acrescente o açúcar e bata mais um pouco.
Em uma vasilha coloca a farinha de trigo, a aveia e o fermento e acrescente a mistura do liquidificador mexendo bem com uma batedeira.
Em uma fôrma média quadrada, untada e enfarinhada coloca metade da massa, as bananas restantes e a maçã cortadas em pedacinhos, salpica com canela, coloca o restante da massa e leva ao forno quente até dourar.


sábado, 21 de junho de 2014

BOLO DE CHOCOLATE DE LIQUIDIFICADOR
INGREDIENTES:

Massa:
  • 03 unidades de ovo
  • 01 xícara (chá) de leite
  • 1/2 xícara (chá) de Óleo de milho
  • 1/2 xícara (chá) de chocolate em pó
  • 01 colher (sopa) de fermento químico em pó
  • 03 xícaras (chá) de farinha de trigo
  • 02 xícaras (chá) de açúcar
  • 02 colher(s (sopa) de margarina

Cobertura:
  • 4 colheres (sopa) de chocolate em pó
  • 1 lata de leite condensado
  • 1/2 lata de leite
  • 1 colher (sopa) de manteiga

MODO DE FAZER:
Massa:
No liqüidificador, coloque todos os ingredientes da massa, exceto a farinha e o fermento em pó. Bata bem. Sem bater, incorpore a farinha e o fermento até a massa ficar homogênea. Despeje a massa em uma assadeira untada e enfarinhada. Asse no forno pré-aquecido, em temperatura média, por 40 minutos.
Cobertura:
Misture todos os ingredientes na panela e leve ao fogo mexendo, até ferver. Depois do bolo assado, fure-o e cubra com a cobertura.


BOLO  FAROFA

INGREDIENTES:
Farofa:
  • 01 ovo
  • 03 colheres (sopa) de manteiga
  • 16 colheres (sopa) de farinha de trigo
  • 01 xícara de açúcar
  • 01 colher (sopa) de fermento em pó

Recheio:

  • 01 lata de leite condensado
  • 01 lata de creme de leite
  • 02 latas de leite
  • 02 gemas
  • 02 colheres (sopa) de maisena

MODO DE FAZER:
Farofa:
Amasse tudo ate virar uma farofa
Se ficar mole, acrescente, aos poucos, mais farinha
Recheio:
Leve tudo ao fogo até engrossar
Montagem:
Unte uma forma com manteiga, coloque metade da farofa
Coloque todo o creme e cubra com a outra metade da farofa
Leve ao forno para dourar

Com um cafezinho é tudo de bom!


quinta-feira, 19 de junho de 2014

CULINÁRIA CAMARONESA
Nosso próximo adversário
Ndolé é o prato nacional dos Camarões. A cozinha dos Camarões é uma das mais variadas na África devido à sua localização na encruzilhada entre o norte, oeste e centro do continente, acrescentou a esta é a profunda influência da comida francesa, um legado da era colonial. A Cozinha dos Camarões e uma das mais variadas da África devido a sua localização na encruzilhada entre o norte, oeste e centro do continente, acrescentou aInfluência da comida francesa, um legado colonial da época.

O prato nacional dos Camarões é ndolé, um cozido constituída de folhas amargas, nozes e peixe ou carne de cabra. O prato nacional dos Camarões É ndolé, hum cozido constituída de folhas amargas, nozes e peixe de carne ou bode.

Os alimentos básicos nos Camarões incluem a mandioca, inhame, arroz, banana, batata, milho, feijão e milho. Alimentos básicos dos Camaroneses são: a mandioca, inhame, arroz, banana, batata, milho, feijão e milho. O pão francês e massas italianas não são tão amplamente consumidos.

O solo da maior parte do país é muito fértil e uma grande variedade de legumes e frutas, ambas as espécies nacionais e importadas, são cultivadas. Os vegetais mais comuns incluem tomates, bitterleaf, folhas de mandioca, quiabo e jiló. 
                                                                                                                 bitterfeaf

A principal fonte de proteína para a maioria dos habitantes é de peixes, aves e carne a ser demasiado caro para outra coisa senão ocasiões especiais. A espécie pangolim, o porco-espinho gigante são bem aceitos. Infelizmente, há também um próspero comércio de espécies exóticas, tais como carne de animais selvagens de chimpanzés e gorilas..

Entre as especialidades estão brochettes Camarões (um tipo de quibe assado ou feito de galinha, carne, ou cabra), Sangah (uma mistura de milho, folha de mandioca e suco de palmnut) e ndoleh (um guisado picante contendo bitterleaf verduras, carne, camarão, carne de porco casca de pasta de amendoim, e). Entre as Especialidades brochettes Estão os camarones (um tipo de quibe assado OU Feito de galinha, carne, cabra ou), Sangah (Uma Mistura de milho, folha de mandioca e suco de palmnut) e ndoleh (um guisado picante Contendo bitterleaf verduras, carne, camarão, massas carne de porco e casca de amendoim).

Nas cidades maiores, no entanto, como Douala e Yaoundé, há muitos restaurantes que oferecem uma grande variedade de pratos ocidentais, bem como chineses e indianos alimentos. Há também inúmeros bares que servem hambúrguer de fast food de estilo americano.


quinta-feira, 5 de junho de 2014

Croácia a primeira equipe a enfrentar o Brasil nesta Copa.
Culinária Croata
Na Croácia, como em tantos outros países, a diversidade culinária acompanha as diferenças geográficas do país. Num país com um percurso histórico tão cheio de vicissitudes, é muito natural que, em determinadas zonas do país a cozinha se assemelhe extraordinariamente à de outros países da Europa Central, ou mesmo do Sul.
Assim, na zona costeira adriática, a comida é muito semelhante à italiana. Já na zona Nordeste de Zagreb, a culinária é muito semelhante à Austro-Húngara. Como pratos e ingredientes típicos usados nas entradas, que podemos encontrar um pouco por toda a Croácia, temos o Salame Gavrilovic, o fiambre fumado da Dalmácia, salgadinhos de sardinha, queijo de cabra, enchidos de pimenta da Slavónia, salame de paprika, bem como uma imensa variedade de bivalves, como ostras, mexilhões e amêijoas, que são grelhados e "na buzaru" (cozinhados com muitas ervas e especiarias).
Os pratos cozidos e fritos de peixe fresco são igualmente apreciados. Entre as especialidades de carne, salientamos a Pasticada da Dalmácia (lombo de vaca lardeado e assado em vinho e especiarias), o Bife à la Zagreb (bife de vitela recheado com fiambre e queijo, panado), as costeletas Zagorie (com enchidos, couve fermentada e batatas cozidas), a vitela Ovo da Páscoa (vitela com molho picante de tomate e cogumelos) e o perú com Mlinci (peru com massa finamente enrolada).

Região por região
"A Croácia faz parte de um entroncamento de civilizações. Lá, há influência dos mundos ortodoxo, católico e islâmico", explica Miroslav Deur, 36, integrante da Associação Sacra Croácia Paulistana.
E a passagem de várias civilizações pelo país vai bem além da esfera política e religiosa. Manifesta-se sobretudo na gastronomia croata, bastante segmentada e particular de acordo com cada região, como indica o mapa ao lado.
No norte, sobressai-se a influência austro-húngara, perceptível principalmente pelo uso do repolho. O sarma - prato que lembra um charuto e é recheado com uma mistura de arroz, carnes bovina e suína - é cozido com chucrute e com linguiça, costela e toucinho - todos defumados.
Na região que faz fronteira com a Bósnia, predomina a influência turca. Entre os pratos mais tradicionais, está o bosanski lonac, ensopado no qual são sobrepostas camadas de legumes e carnes, e o burek, uma torta de semolina com mel.
Cheia de ilhas e com boa parte de seu território banhado pelo mar Adriático, muitos pratos levam peixes como base. "Na costa da Dalmácia, os peixes são algo fundamental", diz o historiador e professor de gastronomia da Universidade Anhembi Morumbi Ricardo Maranhão, 60.
Assim, um dos pratos típicos da Dalmácia, região que compreende quase todo o trecho banhado pelo Adriático, é o brudet, um cozido feito com peixes e batata. Aqui, na região litorânea, há influência romana em pratos como o dalmatinska strudla, uma espécie de strudel (prato de origem austríaca muito consumido na Alemanha), mas feito com a massa do crostoli, um doce italiano.
Outras iguarias que fazem os croatas encherem a boca d'água são o prsut, um presunto semelhante ao parma, e o krvavice, um chouriço feito de sangue de porco e arroz. "Eu sinto saudade da minha terra. Tem coisas de lá que não encontro aqui, como o krvavice", lembra Stefica Carrieri, 74, do Sacra Croácia Paulistana.
 
AS REGIÕES DA CROÁCIA E SUAS IGUARIAS
Região Continental
O goulash, ensopado de carne bovina, é um dos resquícios da influência húngara na região. O prato é consumido principalmente na Eslavônia. Na região, usa-se também raiz-forte.
                                                                                               Goulash                                                                                             
Região Norte
Há um predomínio da incluência austro-húngara. Consome-se muita batata e repolho, além de doces e salgados feitos com massa folhada. Um dos pratos típicosde Zagreb é o strulda, massa folhada recheada com queijo ou com carne. No norte da capital, há ainda o krempita, mil-folhas recheada com um creme doce. No norte do páis conseme-se o sama, espécie de charuto feito com repolho azedo e carne defumada.

Região Litorânea
Há influência de pratos e alimentos deixados pela passagem do Império Romano. O dalmantinska strudia, por exemplo, é uma espécie de strudel, mas feito com a massa do crostoli, doce típico italiano. Outro indício da passagem romana pela região é o prsut (lê-se perchut), um presunto cru semelhante ao de parma. Na Dalmácia, costuma-se comer o brudet (cozido de peixes com batata) e o zelje (ensopado com verdura e costelinha salgada).                                                   Strudel

Região fronteiriça com a Bósnia

Sob influência turca, um dos pratos mais tradicionais é o bosanski lonac (lê-se bossanski lonats), uma espécie de cozido feito com camadas sobrepostas de legumes (cenoura, batata, repolho, vagem, tomate, cebola) e variados tipos de carne. Outro preparo típico é o burek, uma torta de semolina com mel.

sexta-feira, 16 de maio de 2014

A Argentina foi campeã da Copa de futebol em 1986
Culinária Argentina
A culinária dos argentinos se caracteriza por uma grande importância das carnes,vinhos e empanadas. A gastronomia desse país diferencia-se do resto da America Latina devido aos grandes aportes europeus: o italiano e o espanhol, que são duas importantíssimas influências, seguidos por derivados de etnias aborígenes.
Quando se fala em gastronomia argentina, imediatamente pensa-se em carne, em efeito a fertilidade do solo, somado ao fato de ser um dos principais produtores de grãos do mundo, permite a esta contar com um gado de altíssima qualidade. Isso explica por que a carne é um dos principais ingredientes desta culinária.
As carnes normalmente vêm acompanhadas por batatas fritas, saladas, provolone ou provoleta (provolone defumado). Porém parece disseminar nos restaurantes argentinos a tendência a divulgar os pratos tradicionais do que os pratos típicos dos primeiros habitantes da região.O puchero criolo é uma modificação do cozido espanhol, porém feito com mais carne e menos grão de bico. A carbonada (o nome vem do inglês carbonade ou do francês carbone, que significa carvão), podendo adquirir tons adocicados se ao final do preparo for acrescentado pêssegos, peras ou frutas secas. As famosas empanadas, uma leve massa recheadas com carne,cebola,ovos azeitonas e temperos,tem origem nas empadas galegas que é a base de peixe.

Entre os pratos típicos muito consumidos no país, estão o arroz portenho, o locro, e a picada. A Argentina também é muito conhecida pelo doce alfajor, uma espécie de bolacha recheada muito consumida em todo mundo nos dias de hoje.
História
A história da gastronomia argentina, tem sua origem nos Pampas, com pratos a base de milho como locro, tamales e humitas. Estes pratos constituíam a dieta comum dos primeiros habitantes dos Pampas Argentinos; tais pratos ainda são servidos no norte do país.
Até o início do século XX, a gastronomia argentina ainda continuava concentrada entre as elites. Com a imigração, a culinária do país começou a ganhar uma cara nova. Sobretudo pela influência dos italianos, que contribuíram inserindo diversos alimentos como o nhoque, os raviólis, risotos, pizza, entre outros alimentos típicos. O consumo de carne assada também massificou nesta época.
Com a colonização começou a mudar o habito alimentar dos argentinos, além dos italianos, também tivera grande importância os pandorianos e espanhóis, que trouxeram as massas, depois novas influencias com a chegada dos judeus, ingleses, árabes e alemães.
Não se pode esquecer da erva mate e os pasteizinhos chamados de factura; o mate é tão importante na vida social dos argentinos que dele se deriva o verbo matear. O mate já se tornou um símbolo nacional e com propriedades digestivas e revigorantes é tomado a qualquer hora do dia.
Também de grande fama internacional está a adega argentina, que tem em Mendoza a de maior prestigio. Com um relevo de altitude, influenciou na anti-oxidação e o clima na produção dos vinhos, especialmente o Malbec considerado a melhor adaptação em solo Portenho

Influências
A culinária argentina é distinta do resto da América latina pelo influxo de duas grandes tradições européias: a comida italiana e espanhola. Além disso, há a influência da comida nativo-americana. Entre as influências nativas estão as de origem andina e guarani. Devido à influência espanhola e italiana, a culinária argentina é uma continuação do que é geralmente chamada de dieta mediterrânea.
Argentina é famosa por sua comida rica em proteínas. A parrilhada, carne grelhada, é bastante popular na culinária argentina. Na Patagônia, as carnes de cordeiro e de bode são mais utilizadas que a de boi na comida.
Vegetais e saladas também são importantes na culinária argentina. Tomate, alface, cebola e berinjela são acompanhamentos comuns. Tanto quanto a carne são também saboreados pratos italianos como pizza e massas. Diz-se que Buenos Aires tem mais pizzarias do que Roma. Uma bebida tradicional na argentina é o chá de erva mate.